Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Prioridades


Sempre gostei de futebol. Adoro jogar uma partida de futsal ou futebol society, apesar de não jogar muito bem. Mas também gosto de ver uma partida de futebol bem disputada. Jogos da seleção, finais de campeonatos ou jogos europeus. Escolher um bom time de futebol pra torcer, tem que ter duas situações importantes: a primeira, alguém pra você zoar caso o seu time ganhe, e a segunda, um time que ganhe. Não foi o meu caso em nenhuma das duas. Escolhi torcer para o Atlético Mineiro. Ou seja, não sei ainda o que é ganhar um grande título e não tenho como zoar os torcedores dos outros times. Triste destino que escolhi.

Mas não estou perdendo a admiração pelo futebol por causa do meu time. Hoje minha indgnação é outra. É a movimentação de pessoas em busca de um lugar neste paraíso, sem que isto realmente atinja a grande maioria dos desportistas. Quem assistiu o filme "Linha de Passe" (assista o trailer), do brasileiro Walter Salles, vai entender porque esta imagem que o futebol trás de grande oportunidade para os pobres moradores de favelas do Brasil ou da África é insignificante. São alguns que conseguem uma oportunidade no milionário futebol europeu, e um pouco mais nos 20 poucos grandes times do país. A grande maioria esmagadora, não passa nem das "peneiras", e quando entra num pequeno clube é melhor ter outro trabalho pra sustentar sua família.

Outra indgnação é o valor milionário que alguns desportistas recebem. Que merecem ganhar um dinheiro bom, não é o problema. Isto vale para qualquer profissão. Mas você já imaginou se este dinheiro fosse mais bem dividido entre os outros atletas e clubes? Com certeza não se formaria estas grandes discrepância entre outros clubes tornando o futebol até mais competitivo. O que ainda não transparece tanto esta diferença é que as vezes um time pequeno apronta pra cima dos clubes mais abastados. Mas a maioria é decidido por quem tem dinheiro pra investir mais em melhores jogares e estrutura de clube.

O alcance é insignificante se comparado ao dinheiro que este esporte movimenta. Se alguém merecia receber um salário destes seria os profissionais de educação, saúde, sociais e outras que realmente contribuem para a formação do homem e da sociedade.

Muitas vezes temos diante de nós momentos de fazermos escolhas. E elas muitas vezes são difíceis. Quando tenho que faze-las procuro ir pela prioridade. Hoje a prioridade no mundo deveria ser a de melhorar a vida dos 2/3 da humanidade que vivem abaixo da linha da pobreza, e que estão excluídos da oportunidade de se formarem homens e mulheres que possam viver bem e dar o melhor para seus filhos. E se considero isto a prioridade para mim, vou tentar levar a vida valorizando isto. Por isto prefiro hoje que todo o dinheiro que está sendo investido nestes estádios para o Brasil atender a Copa de 2014 sejam investidos primeiramente em melhores escolas e melhores unidades básicas de saúde e hospitais. Quando isto tudo estiver resolvido e antendendo a todos, então podemos construir nossos estádios.

Se um dia o futebol se tornar uma oportunidade real para a maioria dos jovens que adoram este esporte, e vêem nele a chance de se integrar à sociedade, voltarei a prestigiá-lo. Mas enquanto não passa de mais uma das representações da sociedade excludente que vivemos, prefiro apenas praticá-lo.

Suênio Alves

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails