Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Amor, liberdade e responsabilidade

Crer que Deus é amor implica aceitar a liberdade: somos livres. Não há amor sem liberdade, pois não é possível um amor imposto. É impossível obrigar alguém a amar. Apenas na liberdade é possível acontecer o amor.

Deus não poderia amar e, ao mesmo tempo, controlar, pois estaria reprimindo as escolhas. Deus não poderia ser amor e, ao mesmo tempo, determinar a história, pois estaria nos roubando a liberdade, e, portanto, faltando com amor.

Para amar, Deus precisa deixar livre. Por ser amor, Deus respeita nossas decisões, não decide por nós.

Assim sendo, não há história pronta: nem a minha, nem a sua. Nossos destinos não estão escritos. Existimos no espaço das possibilidades.

Precisamos, então, tomar consciência da nossa capacidade criativa: somos autores da História. Devemos assumir a ética da responsabilidade para escrever nosso futuro, pessoal e coletivo, pois estamos todos, de alguma forma, ligados. Ninguém vive isolado.

Somos os protagonistas. Temos liberdade para criarmos a história que quisermos. É uma faca de dois gumes: há a possibilidade de criarmos um inferno, mas há também a possibilidade de criarmos um céu. Deus apostou na segunda.

Não há vida que não possa mudar de rumo. Toda história pode mudar de direção. Podemos intervir em todas as situações, transformá-las, reescrevê-las.

Deus nos deu toda a orientação, nascendo entre nós. Agora, nos cabe assumir o chamado: encarregar-nos da liberdade com responsabilidade, onde o limite é o amor.

Lucas Lujan

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails